Saúde

Edmilson Migowisk - edmilson@ojornalnit.com.br

Um vício chamado café

Que o café é uma paixão nacional, não há dúvidas! Só para se ter uma ideia, uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) constatou que o brasileiro toma de quatro a cinco xícaras todos os dias, o que leva a bebida a liderar a lista que avalia a média de consumo per capita de vários alimentos. O feijão e o arroz, outros itens comuns à nossa mesa, ficaram em segundo e terceiro lugar na pesquisa, respectivamente. No resto do mundo, o consumo também surpreende. Enquanto aqui cada pessoa ingere cerca de 6 quilos do grão por ano, em países nórdicos, como Finlândia, Noruega e Dinamarca, esse número chega aos 13 quilos anuais.

Quem não resiste a algumas xícaras de café por dia está sempre atento às notícias sobre essa bebida produzida a partir dos frutos do cafeeiro. Afinal, o café faz bem ou mal à saúde?  Aqueles que cultivam esse hábito mandam para dentro do organismo uma série de substâncias. Entre elas sobressai a cafeína, famosa por sua ação estimulante. Mas o que aparece em maior quantidade no pequeno grão são os ácidos clorogênicos, compostos antioxidantes. A xícara ainda concentra vitamina B3 e minerais como potássio, manganês e ferro.

Tantas substâncias e vitaminas formam um composto que tem muito mais efeitos bons ao organismo que ruins. Vamos a eles:



Expectativa de vida

Uma investigação do Instituto Nacional do Câncer, nos Estados Unidos, mostra que beber de três a quatro xícaras faz você viver mais. Para os homens, esse ganho representa 10% a mais na expectativa de vida. Já para as mulheres, 13%. O resultado não surpreende, afinal o café é uma das maiores fontes de antioxidantes.

Fígado

O consumo de café reduz o risco do tipo mais comum de câncer de fígado, o carcinoma hepatocelular (HCC) em cerca de 40 %. Além disso, alguns dados indicam que três xícaras de café por dia reduzem em mais de 50% os riscos de adquirir a doença. A conclusão é de uma análise publicada na American Gastroenterological Association. Aliás, os estudos científicos têm demonstrado os benefícios desta bebida na prevenção de doenças hepáticas e também no tratamento adjuvante de diversos agravos hepáticos.

Pele

Depois de acompanhar mais de 110 mil pessoas por 20 anos, pesquisadores da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, descobriram que o café está inversamente associado ao tipo mais comum de tumor de pele.

Coração

Uma pesquisa da Universidade Harvard, nos Estados Unidos avaliou avaliados mais de 140 mil indivíduos. Com quatro doses diárias de café os indivíduos diminuíram em até 11% o risco de problemas cardíacos. Os compostos bioativos da bebida afastam o diabete tipo 2.

Parkinson

Para um paciente com Parkinson, doença caracterizada por tremores no corpo, é de supor que a cafeína piore o quadro, certo? Errado. Em estudo realizado no Instituto de Pesquisa da Universidade McGill, no Canadá, observou-se que ela ameniza o sintoma. A melhora motora entre aqueles que ingerem cerca de duas xícaras por dia de café é semelhante à de remédios indicados na fase inicial da doença.

Recomendações


Mas atenção!  A quantidade recomendada de café varia de três a cinco xícaras de café por dia para pessoas saudáveis. Gestantes devem evitar o consumo de bebidas com cafeína, isso porque a bebida aumenta das secreções gástricas e também faz com que o risco de refluxo seja maior. Crianças também devem evitar o consumo da bebida, devido à irritação que ela pode causar no estômago. Fique bem, cuide-se bem!

Comentários