Saúde

Edmilson Migowisk - edmilson@ojornalnit.com.br

O colesterol alto: um mal silencioso que pode custar muito caro

Entre os dias 23 e 25 de novembro, participei da Semana da Saúde, um evento organizado pela Secretaria de Estado de Saúde, com parceria do Instituto Vital Brazil. Além da oportunidade conhecer um pouco mais sobre os animais peçonhentos com o Instituto, a população contou com testes de glicemia e colesterol, realizados em parceria com o laboratório MedLevensohn. Em três dias de medição, foram realizados cerca de 900 testes. O que me causou muita surpresa foi o fato de que, deste total, em torno de 135 tiveram alteração no colesterol (o resultado foi maior do que 200mg/dl). E desses, apenas 59 já sabiam que tinham o colesterol alto.

Sinais e Sintomas

Os sintomas de colesterol alto, em geral, não existem. Porém, o depósito de gordura acumulada no fígado, embora não produza dor, pode gerar alguns sinais e sintomas como:

- Bolinhas de gordura na pele (xantelasma): formam-se nos tendões e na pele e são carocinhos de diversos tamanhos, geralmente rosados e com bordas bem definidas. Eles aparecem em grupos, numa determinada região, como no antebraço, nas mãos ou em volta dos olhos.

- Aumento do fígado e do baço: podem ocorrer quando as concentrações de triglicerídeos no sangue atingirem valores próximos ou superiores a 800 mg/dl de sangue, causando inflamação no pâncreas (pancreatite), que provoca dor abdominal intensa.

Como os níveis de colesterol têm que estar muito altos para o surgimento destes sinais e sintomas, na maioria das vezes o indivíduo não percebe a doença, o que facilita a sua progressão. A única maneira eficaz de descobrir se o colesterol está alto é por meio de exame de sangue para o colesterol total e suas frações, além dos triglicerídeos.

Tratamento

No caso de descobrir altos índices de colesterol, a prática regular de atividade física e a alimentação correta podem ser a solução do problema. Isso porque nem sempre é necessário tomar medicamentos. É importante baixar o colesterol alto porque ele pode ter graves consequências para a saúde.

Quase sempre hábitos alimentares saudáveis e prática regular de exercícios físicos são capazes de manter as taxas de colesterol bom (HDL) e ruim (LDL) em perfeito equilíbrio, afastando os riscos de infarto e derrame cerebral, além de outras doenças como o Mal de Alzheimer. Quem sofre com o problema sabe bem que a solução para este mal não está nas pílulas. Nem que você siga à risca os horários e as doses dos remédios, sem controlar a alimentação, as taxas de colesterol jamais entram nos eixos.

Alguns alimentos são ótimos para quem está à procura do controle do colesterol: é o caso de peixes, aveia, nozes e castanhas, chocolate amargo, azeite, alcachofra, laranja, vinho, linhaça, soja e açaí.

Se, mesmo em uso de dietas hipocalóricas e em realização regular de atividade física, o paciente permanecer com níveis de colesterol e triglicerídeos elevados, deverá procurar um médico para iniciar controle com medicação.

Fique bem, cuide-se bem!

Dr. Edimilson Migowski

Médico Infectologista e Presidente do Instituto Vital Brazil

Com colaboração de Thaís Marini

Comentários