Estética Avançada

Fabiana Roberto - fabiana@ojornalnit.com.br

Benefícios dos cosméticos biocompatíveis

Um bom cosmético faz toda diferença para um tratamento estético satisfatório. Hoje temos inúmeras opções no mercado, por isso existe a necessidade de entendermos um pouco mais sobre esses produtos, pois se bem escolhidos podem realmente ser de grande ajuda no resultado final, caso contrário podem causar danos à pele, levando até ha casos graves de alergia, por exemplo.

Para que o produto seja eficaz e realmente faça o que promete, tem que ser biocompatível, ou seja, as suas características tem que ser semelhantes à pele, ao manto hidrolipídico, que é uma mistura de água e óleo presente na superfície cutânea. Assim, ao se misturar a ela ficará homogêneo, contribuindo para que as substâncias ativas específicas para o problema estético a ser tratado cheguem ao local de ação.

Entre os fatores que afetam a permeação do cosmético estão a integridade da barreira cutânea, pH e hidratação da pele, por isso ele deve ser elaborado para que possa ter uma boa dissolução do ingrediente ativo no veículo facilitando sua difusão da superfície até as camadas da pele.

Produtos biocompatíveis têm óleos vegetais (ricos em ômegas 3, 6 e 9) em sua composição, pois além de serem hidratantes e nutritivos têm o papel de carregar os ativos principais, como cafeína, por exemplo, no caso de ser um cosmético para redução de celulite, para camadas mais profundas.

Já os cosméticos que não se preocupam com saúde e integridade da pele pode causar desde processos alérgicos até disfunções hormonais, como é o caso do conservante PARABENO. Ele, segundo alguns estudos, apresenta características estrogênicas, ou seja, agem no organismo como se fosse estrogênio, um hormônio feminino, sendo causador de disfunções não somente na pele mas também no organismo.

O óleo mineral, ao contrário do vegetal, não interage com o manto hidrolipídico, causando tamponamento nos poros e obstrução das glândulas de excreção da pele desregulando a camada ácida. Ele repele água, prejudicando a hidratação cutânea e cria um filme sobre a pele que não permite a penetração das substâncias ativas. O óleo mineral é derivado do petróleo, é uma substância sintética, assim como os silicones e a parafina, pode causar foliculite, inflação dos foliculos pilosos (poros), processos alérgicos, dentre outras patologias.

Segundo a lista da Sociedade Brasileira de Alergia e Imunopatologia as principais matérias-primas presentes nos cosméticos que causam alergias são o óleo mineral, propilenoglicol, fragrâncias artificiais, conservantes parabenos e conservantes liberadores de formol (DMDM Hidantoin e Imidazolidinil Urea, por exemplo).

As bases biocompatíveis fazem parte de um novo conceito internacional de qualidade e saúde.

O uso de cosméticos de qualidade além de melhorar os resultados e deixar o cliente satisfeito, irá evitar problemas futuros. Então na hora de escolher o cosmético seja pra uso domiciliar ou mesmo para uso em consultórios e clinicas de estética, não procure só promoções, preze a saúde. Assim terá beleza e bem estar preservando a integridade da sua pele.

Fabiana Roberto
Tecnóloga em estética e cosmética
Pós Graduada em estética e cosmetologia

Comentários