Aplausos

Julianna Coelho - julianna@ojornalnit.com.br

“Andarilho”, trabalho do sambista Thiago Cunha, é garantia de suces

Canta a grande Alcione, a Marrom: “Quem não gosta de samba, bom sujeito não é, é ruim da cabeça ou doente do pé!” Essa é uma das maiores verdades da cultura popular nacional. O samba é nossa identidade, ao lado da bossa-nova, lá nas terras dos gringos e aqui também nas terras tupiniquins. A própria festa de encerramento das Olimpíadas do Rio de Janeiro terminou numa grande apoteose, ao som de sambas de sucesso. É devido a essas premissas, que o trabalho do talentoso artista Thiago Cunha é garantia de sucesso. O disco “Andarilho” conta com 12 músicas autorais e inéditas do artista.

No seu CD, Thiago Cunha exibe suas obras autorais, dentre outras populares do samba brasileiro. O show conta com um rico repertório concebido pelo artista em criações que representam suas características, além de canções de compositores consagrados, como: Chico Buarque de Holanda, João Nogueira, Gonzaguinha, Monsueto, Cartola, Candeia, Noel Rosa, dentre outros. O evento, geralmente, tem a duração de duas horas.

Aos 14 anos, Thiago iniciou seus estudos musicais com o músico Marcelo Silva, passando também pela Escola de Música Villa Lobos. Atualmente formou-se no curso de harmonia no CIGAM, com Cláudio Bergamini. Ele começou sua vida profissional cedo, tocando em rodas de samba pelo Rio e por Niterói.

Em meados de 2006, Thiago formou o Sacode Carola, reunindo cavaco, violão, surdo, pandeiro e flauta, tendo como referência grandes mestres do samba, como: Cartola, Candeia, Mestre Marçal, Zeca Pagodinho, Monarco, Paulo da Portela, Paulinho da Viola, Chico Buarque, dentre outros. O grupo ficou conhecido em Niterói, passando por várias casas e formando seu próprio público. No final de 2008, foi convidado a fazer parte do grupo Tio Samba, uma orquestra popular formada por grandes músicos como Fabiano Segalote, Bernardo Dantas, Gilson Santos e Watson Cardoso.

Tendo preocupação com o Movimento Social, Thiago participou do projeto da ONG “Oficina do Parque”, em Niterói-RJ, no qual dava oportunidade a crianças carentes de terem contato com arte. A oficina ensina crianças a tocar cavaquinho, e ensina princípios básicos de teoria musical. Em meados de 2009, atuou como Diretor musical no projeto de samba chamado “Encontro com o Samba”, em parceria com Marquinhos Diniz, integrante do Trio Calafrio e compositor dos maiores sucessos interpretados por Zeca Pagodinho.

No final de 2007, lançou sua carreira solo. Em 2010, em parceria com o ator Rafael Zulu e seu primo Rafha, Thiago criou o projeto Irmãos do Quilombo, roda de samba que tinha como objetivo cultivar as raízes brasileiras preservando a autenticidade do samba de raiz, levando a sua musicalidade para todos os cantos do mundo. No final de 2011, gravou três músicas e montou sua roda de samba no Espaço Cultural Carlinhos Bar em Maria Paula. Em 2012, ele foi convidado a fazer parte do projeto “É MARÉ CHEIA”, na Toca do Gambá, todas as sextas a partir de 22h. Mesmo focado no seu disco, aceitou o desafio de tocar na banda do sambista Dudu Nobre, em 2015.

Comentários