Leitura de Bordo

Otacílio Barros - otacilio@ojornalnit.com.br

Pra platéia

No início do mês de janeiro o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, tomou a decisão de demitir todos os ocupantes de cargos comissionados na prefeitura, sem dó nem piedade. Com exceção dos secretários municipais, não ficou ninguém pra apagar a luz.

O que levou o prefeito a tomar tão drástica decisão, pondo todos no mesmo saco, nivelando todos por baixo? Será que nos quatro anos que se passaram não deu para se fazer um estudo de quantos comissionados, realmente, a prefeitura necessitava para funcionar adequadamente, para atender às necessidades dos cidadãos niteroienses? Ou será que, como todo bom prefeito populista está fazendo na grande maioria dos municípios brasileiros, a decisão é a de jogar pra plateia? Ou seja, esse assunto dá mídia!.

Até porque prefeito todos sabem que as nomeações dos melhores apadrinhados já estão se efetivando. Dizem que já renomeou cerca de dois mil. Os que não dispõem de padrinhos, que caíram nas graças de Rodrigo Neves, vão ter que esperar mais um pouco, já estão sem salários desde o mês de janeiro, estão atrasando suas contas, inclusive o pagamento de tributos municipais, como o IPTU. Será que o senhor não sabe prefeito o tumulto e a insegurança que está causando no seio dessas famílias, cujo mantenedor está agora desempregado por uma simples canetada sua? Não foi o caso como o do Rio de Janeiro, onde assumiu o cargo um novo prefeito.

Aí sim, os comissionados que haviam sido nomeados por Eduardo Paes, saíram para dar lugar aos que, por um motivo ou outro, apoiaram politicamente Marcelo Crivella. É do jogo, todos que lidam com política sabem disso. Sabemos também que, no seu caso, houve um rearranjo de forças e se faz necessário atender aos novos e velhos aliados políticos. É do jogo.

Mas demitir todos indiscriminadamente? E vocês senhores vereadores detentores de cargos na prefeitura, vão ficar olhando a banda passar e se sujeitar à vontade soberana de sua majestade Rodrigo Neves? Não vão se sentar à mesa e negociar democraticamente, civilizadamente e em termos de igualdade com o prefeito? Aliás, sempre tem os mais espertos que já negociaram a volta de seus correligionários aos cargos que ocupavam anteriormente. Prefeito, se o senhor acha que vai chegar ao governo do Estado com essas medidas populistas está redondamente enganado. Se cerque de melhores conselheiros, o povo não cai mais nessas bravatas.

Até que nesses últimos quatro anos o senhor fez um bom governo, foi um bom gestor. Continue sua trajetória política por esse caminho, administrando bem a cidade, indo ao encontro dos anseios da sociedade niteroiense e não demitindo pessoas que ajudaram nessa sua última administração. Ao tomar o café da manhã com sua família olhe bem para os seus filhos e se ponha no lugar daquele pai demitido pela pena de sua caneta. Pense nisso prefeito.

“Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. E agora está me esperando o prêmio da vitória, que é dado a quem vive uma vida correta, que o Senhor, o justo juiz, me dará naquele dia, e a todos que esperam com o amor, a sua vinda”.

(II a Timóteo, 3:7).

Comentários

+ POSTAGENS

29/12/2017 - Ano novo, nova vida?

28/09/2017 - A educação

31/08/2017 - UM DIA QUALQUER

18/07/2017 - Perdas necessárias

08/06/2017 - E a baderna continua

24/05/2017 - Vergonha

19/04/2017 - Conversa de Botequim

12/04/2017 - Desesperança

06/04/2017 - Aula de Direito

28/03/2017 - Nossa Niterói

23/03/2017 - O canalha

15/03/2017 - Caos em Niterói

09/03/2017 - Pra platéia