Leitura de Bordo

Otacílio Barros - otacilio@ojornalnit.com.br

Caos em Niterói

Alguns costumam dizer que só há ordem no caos. Eu até poderia concordar se fosse um estudioso de como as coisas se processam no Universo, entendesse muito bem a Teoria da Criação, como funciona um Buraco Negro, etc, etc, etc. Mas eu quero falar mesmo é do caso cotidiano que enfrentamos aqui em Niterói.

O caos urbano, a desordem publica. Algum de vocês, meus caros leitores, já experimentou sair de casa de carro em qualquer hora do dia, em qualquer dia da semana, de qualquer ponto da cidade? Já? Então entende do que eu estou falando. Ora, muitos vão dizer que a cidade cresceu verticalmente, que onde existia uma casa com cerca de cinco moradores hoje está instalado um edifício de 80 apartamentos com, no mínimo, 80 carros.

Tudo bem, isso é verdade. Mesmo com todo esse crescimento do número de automóveis dá para administrar, organizar o trânsito. Mas, os senhores que estão à frente da administração do trânsito na cidade, me parece, não moram por aqui. Quem circula de carro em Icaraí, Fonseca, Centro, São Francisco, sabe do que estou falando. Experimente, por exemplo, sair da Alameda Carolina (que, aliás, está com o asfalto (?) horrível), pegar a Comendador Queiroz, a Praia de Icaraí, e se dirigir ao Centro. É um teste de paciência e tolerância.

E é aí que mora o busílis. O niteroiense está com os nervos à flor da pele. A grande maioria entrou naquela do levar vantagem em tudo e jogou a educação para o alto. Ora, devem pensar alguns, se as autoridades não combatem os ônibus que fazem o que querem no trânsito; os caminhões que param em qualquer lugar a qualquer hora, sou eu que vou respeitar? Tem que respeitar sim, tem que pensar no próximo, tem que se conduzir como se estivesse em sua própria casa, até porque o que é a urbe se não a extensão de nossos próprios lares?

Por falar em caminhões, esses então estão livres para parar onde quiserem e a hora que desejar, é só passar na Moreira Cesar, principalmente em frente aos supermercados, e atrás do Plazza Shopping e ver o CAOS instalado. A Rua que passa por traz do Plazza é perfeitamente larga para que o trânsito flua normalmente. Mas, quase sempre, só dá para passar um veículo de cada vez, porque os caminhões enormes estão lá atrapalhando o fluxo.

Na Rua General Andrade Neves é a mesma coisa, eles se revezam para atazanar a vida de quem quer chegar à Rua da Conceição, onde você também pode levar até um livro para folhear algumas páginas. Ora, poderia eu ficar aqui a nomear rua por rua da cidade, onde o tráfego não flui por absoluta incompetência de quem está autorizado a administrar o trânsito da cidade. Será que os niteroienses estão satisfeitos com todo esse caos urbano instalado na cidade? Acredito que não. E, prefeito Rodrigo Neves, o senhor que alardeia aos quatros ventos que cuida da segurança da cidade, bem que poderia mandar policiar com guardas municipais o calçadão da Praia de Icaraí, já que a PM não o faz. Os chamados moradores de rua e alguns deles trombadinhas estão tomando conta do pedaço. Daqui a pouco vamos ter notícias de arrastões no local, daqueles que acontecem nas praias cariocas, porque assaltos já acontecem a todo o momento.

“Por vezes é penoso cumprir o dever, mas nunca é tão penoso como não cumpri-lo”. (Alexandre Dumas).

Comentários

+ POSTAGENS

29/12/2017 - Ano novo, nova vida?

28/09/2017 - A educação

31/08/2017 - UM DIA QUALQUER

18/07/2017 - Perdas necessárias

08/06/2017 - E a baderna continua

24/05/2017 - Vergonha

19/04/2017 - Conversa de Botequim

12/04/2017 - Desesperança

06/04/2017 - Aula de Direito

28/03/2017 - Nossa Niterói

23/03/2017 - O canalha

15/03/2017 - Caos em Niterói

09/03/2017 - Pra platéia