Leitura de Bordo

Otacílio Barros - otacilio@ojornalnit.com.br

O canalha

Cuidado com ele. Ele pode estar aí do seu lado agora, enquanto você está lendo esse artigo, ou pode mesmo estar tramando algo contra você. Ele é destituído de qualquer escrúpulo, de qualquer moral, de qualquer ética. Ele não tem amigos, ele tem pessoas que escolheu para amigos, mas só as que delas possa se beneficiar, fazendo negócios com elas próprias, ou no mais obscuro sigilo usando os seus nomes para receber benesses ou mesmo, aliás, na maioria das vezes, usufruir de benefícios pecuniários.

É o canalha, é o escroque, é o cafajeste. Eles estão em todos os segmentos da sociedade, na política, nas religiões, no esporte, enfim, em todos os ramos da atividade humana. Normalmente ele se faz passar por pessoa séria, honesta, cheia de moral e ética, mas, na verdade, por trás daquela aparência de cordeiro se esconde um lobo (que me desculpem os lobos), da pior espécie. Ele vende qualquer coisa, até mesmo a mãe, desde que saia beneficiado. É o canalha! Cuidado com ele. Se ele tiver algum interesse em você, tenha a certeza que ele vai chegar a você. E se você for um homem de bem, um homem de boa vontade, ele vai conseguir lhe enrolar lhe passar para trás e até mesmo enxovalhar a sua honra até que se prove o contrário.
Não é à toa que nos deparamos diariamente com questões que envolvem poder, honra ética e moral em nossa sociedade. E sabem por quê? Por que lá, em todos os momentos, está a figura do canalha. É ele que se envolve ou mesmo é o mentor das falcatruas que a imprensa expõe no nosso dia-a-dia. Ele está no mensalão, na Gautama, na crise aérea, na Lava-Jato, enfim, em tudo que não for realizado dentro das condições normais de temperatura e pressão, podem ter certeza está o dedo, a mão, os pés dessa figura hedionda que já deveria ter sido banida da real convivência harmônica da humanidade. Ele tem lanchas, helicópteros, jatinhos, casa em Angra dos Reis, em Búzios e, se não tem, podem ter certeza que está usufruindo de tudo isso, propriedades de outro canalha.

Como as grandes tragédias, as grandes hecatombes que atingiram o ser humano, como a bomba de Hiroshima, o holocausto dos judeus, não devem ser esquecidas, o canalha também não, porque é ele que colabora diretamente para todas as desgraças a que nós estamos expostos em nossos cotidianos. Ele é como a erva daninha que vai estrangulando a planta lentamente. Ele é uma figura diabólica que está do lado negro da força. A sua contribuição à sociedade é no sentido da propagação do mal, nunca do bem-estar de todos nós.

Olhe para o lado, meu caro leitor, e certifique-se de que não há nenhum canalha por perto, porque, se tiver você pode estar certo de que ele vai querer tirar alguma coisa de você. É da natureza dele. Portanto, se você conhecer alguém que está inserido nesse perfil, desmascare-o, conte pra todo mundo quem ele realmente é e assim contribua para um mundo melhor.

 

“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”.Rui Barbosa.

Comentários

+ POSTAGENS

29/12/2017 - Ano novo, nova vida?

28/09/2017 - A educação

31/08/2017 - UM DIA QUALQUER

18/07/2017 - Perdas necessárias

08/06/2017 - E a baderna continua

24/05/2017 - Vergonha

19/04/2017 - Conversa de Botequim

12/04/2017 - Desesperança

06/04/2017 - Aula de Direito

28/03/2017 - Nossa Niterói

23/03/2017 - O canalha

15/03/2017 - Caos em Niterói

09/03/2017 - Pra platéia