Notícias

A frente de muitos brasileiros na luta contra a crise

Niterói, 25/01/2017 11:36:05

Érico de Sousa Cardoso

O brasileiro necessitará contar com muita habilidade financeira para crescer sua renda em 2017. O cenário de recessão a que se arrasta no país tem desafiado cada vez mais o brasileiro quando o assunto é melhorar suas condições financeiras. Para piorar, economistas e o próprio governo admitem que o ano de 2017 não será dos mais tranquilos para o brasileiro. Como se posicionar neste cenário de crise para evitar o aumento de dívidas?


Já em 2015, a pesquisa realizada pela SPC Brasil constatou que 64% dos brasileiros não conseguiram fazer poupança! Isto significa que não sobrava dinheiro para investimentos para esta população. Em tempos de crise, a tendência é aumento da quantidade das pessoas que gastam mais do que recebem, principalmente quando a fome do Leão e dos outros tributos aumentam e os custos dos produtos e serviços se ampliam. Só resta ao brasileiro, duas opções: cortar custos supérfluos e investir melhor.

Este pode ser desafio ampliado quando se trata de famílias, pois neste caso trata-se de planejamento familiar. Afinal, quem gosta de ter suas necessidades de consumo, mesmo que supérfluas, limitadas? O corte de gasto partirá da esposa, filho (a) e/ou marido?

Então, por onde começar? Iniciar com o corte de custos pode ser uma boa pedida. O ideal é que a pessoa corte aqueles custos que não são essenciais, renegocie dívidas, pesquise mais os preços dos produtos e serviços e aprenda mais sobre a composição dos seus gastos. Diversas questões deverão permear seu ano como por exemplo: todo início de ano o contribuinte tem um dever de casa para fazer. Ele precisa responder se vale a pena pagar o IPTU em cota única ou parcelada? O mesmo em relação ao IPVA, o que fazer? Como pago minhas dívidas no cartão de crédito ou a vista?

Outra dica bastante interessante é se livrar de bens que não possuem mais utilidade para você. Assim, roupas antigas podem ser vendidas no brechó, livros antigos e lidos podem ser trocados ou comercializados em sebos e por aí vai.

De nada adianta realizar este processo se você substitui os bens supérfluos por outros, então para isso procure anotar no seu celular ou em um caderninho cada gasto que você realiza diariamente. Mensalmente, analise a qualidade destes gastos.

Bom, agora que você já sabe o quanto você ganha e quanto gasta após realizar a economia possível, cabe agora definir se você se encontra adequado ao seu padrão de vida ou se preocupar onde investir o seu dinheiro. De uma coisa pode estar certo, já deu um longo passo na frente de milhões e milhões de brasileiros!

Comentários

Leia também